Cerca de 127,5 mil alunos de Marabá, Santarém e Altamira ficarão em casa contra o coronavírus

Redação Por: Redação

Educação Novidades

Publicado em 18/03/2020 14:53h

Cerca de 127,5 mil alunos de Marabá, Santarém e Altamira ficarão em casa contra o coronavírus

Aulas estão sendo suspensas por redes municipais para conter chegada da Covid-19 ao Pará

Cerca de 127,5 mil estudantes das redes públicas de ensino de Marabá, Santarém e Altamira terão aulas suspensas nos próximos dias como medidas de proteção contra o coronavírus, anunciaram as prefeituras. As aulas já foram suspensas por 15 dias para 55 mil estudantes da rede municipal de Marabá. O mesmo deve acontecer para 46.561 mil alunos de Santarém, a partir de segunda-feira (23). Em Altamira, 26 mil alunos da rede municipal também tiveram aulas suspensas, a partir desta quarta (18), por 15 dias. 

Nesta terça (17), o governo do Estado anunciou a suspensão das aulas em toda a rede estadual até dia 31. As prefeituras de Belém e Ananindeua também suspenderam as aulas nas redes municipais. em Belém a medida começou a valer nesta quarta-feira (18) e deve durar por 15 dias. Em Ananindeua a suspensão dura até dia 31.   

Prefeitura de Santarém anunciou a suspensão das atividades na rede municipal na manhã desta quarta (18). A medida da Prefeitura de Santarém ocorre 24 horas após o município ter decretado situação de emergência em razão da pandemia do coronavírus, por um período inicial de 90 dias, com possibilidade de renovação. O prefeito de Santarém, Nélio Aguiar (MDB), anunciou esta terça-feira (17) que as aulas da rede municipal vão parar por de 15 dias (de segunda-feira, 23, ao dia 5 de abril).

As atividades estarão suspensas em escolas, creches e outras unidades municipais de Santarém, informou a Secretaria Municipal de Educação (Semed). Desses alunos, 35.996 mil estudam na área urbana.

Medidas para conter a epidemia

Santarém não tem casos confirmados da Covid-19. Ainda assim, o decreto do poder municipal que declarou situação de emergência no município prevê a instalação de um Comitê de Gestão de Crise, coordenado pelo Gabinete do Prefeito e pela Secretaria Municipal de Saúde de Santarém (Semsa).

Entre outras medidas estão também orientações para se evitar a superlotação de passageiros e intensificar a higienização dos transportes coletivos. Servidores do SAMU, médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, entre outros profissionais de saúde municipais receberão treinamento e unidades públicas de saúde vão se articular com a rede privada para garantir fluxos de atendimento.

Santarém também agenda reuniões para apresentação dos protocolos estabelecidos pela OMS à Companhia Docas do Pará (CDP), empresa Cargill, à Capitania Fluvial de Santarém e ao Destacamento de Controle de Espaço Aéreo. 

O decreto determinou também a suspensão do período de férias dos profissionais de saúde, assistência social e defesa civil nos meses de abril e maio. Na UPA 24h de Santarém foi criada uma sala de coleta específica para o atendimento de pacientes com sinais de gravidade de sintomas respiratórios.

Fonte: O Liberal 

Comentários

Deixe seu comentário abaixo sobre esta notícia:

É Notícia Carajás - Blog de Notícias